Cadastro Médico
 
Dr(a).  expandir >

 
 



Envelhecimento: Como é possível retardá-lo através da alimentação ?

 Feed RSS de Artigos Feed RSS
 
Postado em 28/03/2009 às 10:00:00 por Carlos de Carvalho

Visitas: 754



Envelhecimento: Como é possível retardá-lo através da alimentação?



Na próxima segunda feira, dia 27 de setembro, o mundo comemora mais uma vez o Dia Internacional do Idoso, uma data que tem a ver com todos nós, da criança ao adolescente ao adulto produtivo e ao mais velhinho da família. Isto porque não há como fugir da realidade, ou somos velhos ou vamos ficar velhos

Quando a Comissão de Educação do Senado instituiu a data, já se sabia que essa parcela da população precisava de um cuidado especial. No início deste mês, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE) informou que em 2050 o número de idosos no Brasil será igual ao número de jovens. Se em 2000 as pessoas com mais de 60 anos representavam 5% da população, na década de 50 deste século elas serão 18%, mesma porcentagem dos que terão entre zero e 14 anos. Em pouco mais de quatro décadas, o número de pessoas com 80 anos ou mais será quase oito vezes maior, passando de 1,8 milhão para aproximadamente 13,7 milhões. Enquanto nossos avós e bisavós morriam antes dos 50, a expectativa de vida para nós já ultrapassa os 70 e deve ir além para a geração dos nossos filhos nas próximas décadas.

Todos esses números mostram que daqui alguns anos o Brasil terá uma população maior de pessoas que necessitarão de mais atenção nos aspectos saúde e qualidade de vida. Isso tem estimulado inúmeros pesquisadores a identificar os fatores que levam a um envelhecimento sadio, ou seja, os motivos que levam certas pessoas a envelhecerem bem, com boa capacidade de gerir sua própria vida de forma independente e autônoma, enquanto outras chegam ao final da vida com limitações físicas e mentais, totalmente dependentes e sem capacidade de conduzir o seu cotidiano.

Esses extremos de um espectro que vai do envelhecimento saudável e bem sucedido ao envelhecimento mal sucedido, tem sido objeto de inúmeras pesquisas. Os estudos mostram que é possível chegar bem à maturidade desde que se adote um estilo de vida saudável, que inclui hábitos alimentares adequados e a prática de exercícios físicos regulares. Já sabemos que várias mudanças decorrentes do processo de envelhecimento podem ser atenuadas com uma alimentação adequada e balanceada nos aspectos dietético e nutritivo.

Comer bem é fazer prevenção
Os estudos científicos confirmam: os principais fatores que levam a um envelhecimento prematuro são os erros alimentares cometidos durante a vida, além da exposição ao sol, o stress e o hábito de fumar. E dentre todos esses fatores, a nutrição é a que mais está ligada à qualidade de vida e a longevidade do ser humano. A alimentação, desde que nutricionalmente adequada, exerce papel fundamental no retardo do processo de envelhecimento, na melhora da performance mental e física, além de auxiliar na manutenção do peso adequado e na resistência às doenças (melhora do sistema imunológico).

O consumo excessivo de alimentos ricos em gordura, sal, carboidratos simples (produtos refinados como açúcar) e o consumo exagerado de bebidas alcoólicas ao longo da vida, são hábitos amplamente relacionados com as alterações físicas e doenças ligadas ao envelhecimento. Ao contrário, a ingestão de alimentos ricos em fibras, vitaminas, minerais e fitoquímicos presentes em frutas, hortaliças, cereais integrais, nozes e castanhas variadas, está relacionada ao retardo do envelhecimento e redução de doenças relacionadas à idade tais como osteoporose, cardiovasculares, Mal de Alzheimer, câncer de mama e próstata, entre outras..

É importante que as pessoas saibam que o envelhecimento cronológico pode ser bem diferente do envelhecimento fisiológico e funcional. Assim, pessoas da mesma idade cronológica, sobretudo após os 50-60 anos, podem ter seu envelhecimento funcional e fisiológico diferenciado, aparentando mais ou menos idade. Essa diferenciação é provocada pelo estilo de vida que cada pessoa adota em seu dia a dia. Se esse estilo de vida não for adequado, saudável, o envelhecimento fisiológico e funcional será mais acelerado. Contudo, sempre há tempo para tentar reverter a situação; modificações nos hábitos alimentares e a prática de exercícios físicos podem trazer grandes benefícios para o corpo e para a mente mesmo para as pessoas que já chegaram a meia idade e nunca tiveram hábitos saudáveis de vida.

Um cardápio anti-envelhecimento deve priorizar:



- O consumo de carboidratos complexos como pães integrais, cereais (aveia, trigo, centeio, cevada integrais), arroz integral, etc. = recomenda-se que sejam, sempre que possível, consumidos de forma integral, uma vez que o processamento do trigo, arroz e outros grãos traz perdas significativas de nutrientes, principalmente de fibras;

- O consumo de frutas e vegetais variados = são as maiores fontes de vitaminas, sais minerais e fitoquímicos, substâncias ativas capazes de prevenir e controlar doenças relacionadas à idade. São também ricos em fibras;

- O consumo de carnes magras, aves sem pele, peixes, laticínios desnatados, leguminosas (soja, feijão, ervilha, lentilha, grão de bico), nozes e castanhas = alimentos ricos em proteínas, necessárias para a construção e manutenção dos tecidos orgânicos, formação de enzimas, hormônios e vários líquidos e secreções corpóreas.

- O consumo de água durante todo o dia (no mínimo 8-10 copos)

Nesse cardápio deve-se evitar ou moderar o consumo de alimentos ricos em gorduras, açúcar e sal. O consumo desses três componentes alimentares está relacionado às doenças cardiovasculares, hipertensão, câncer (principalmente de mama e próstata), entre outras enfermidades, além de que os excessos se acumulam em forma de gorduras indesejáveis, celulite e trazem transtornos para o corpo todo. Resumindo:

- Evite gorduras, frituras, consuma carnes magras e aves sem pele, dê preferência para peixes como salmão, atum, sardinha, cavala, ricos em gorduras importantes para a nossa saúde e bem estar (ácidos graxos ômega-3); evite alimentos embutidos como salames, salsichas, presuntos, linguiças, etc, ricos em gordura saturada e colesterol.

- Reduza o consumo de churrascos e assados em brasa; a fumaça que impregna as carnes é cancerígena e formadora de radicais livres que favorecem o envelhecimento precoce;

- Modere o consumo de açúcar (doces, refrigerantes, etc) e sal; em excesso o açúcar se transforma em gordura colocando em risco seu peso e o sal causa retenção hídrica, proporcionando inchaço e edemas;

- Prefira o azeite de oliva para temperar saladas e dê preferência aos óleos de canola, girassol e milho para o preparo de outros pratos; use-os com moderação;

- Beba pouco álcool; bebidas alcoólicas fornecem calorias, mas não nutrientes, por isso engorda e causa outros problemas para a nossa saúde. O consumo de 2 cálices de vinho tinto ao dia, mas não mais do que isso, pode ser benéfico para o coração.

Reforço especial a partir dos 50 anos
A alimentação deve ser monitorada em todas as fases da vida. No entanto, a partir dos 50 anos muitas vezes é necessário um "reforço" especial, isto porque é nessa fase da vida que os processos catabólicos ou degenerativos tornam-se maior do que a taxa de regeneração celular anabólica. Por conta disso, a perda de células resultantes leva a vários graus de menor eficiência e função orgânica deficiente, inclusive menor absorção de nutrientes, causando também uma perda progressiva da massa corpórea.

Com o avançar da idade, mudanças no paladar, menor secreção salivar entre outros fatores que diminuem a capacidade de mastigação e deglutição do alimento, levam também a uma diminuição do consumo de carnes, frutas e vegetais frescos, resultando em ingestão inadequada de ferro, zinco, entre outros nutrientes importantes. Como se não bastasse, o acúmulo de radicais livres é muito maior após essa idade. Os radicais livres são moléculas formadas em nosso corpo por conta, principalmente, da exposição à poluição, fumaça do cigarro, raios solares, drogas, alimentos gordurosos, etc. O efeito cumulativo dessas moléculas pode causar alterações irreversíveis nas células aumentando o risco de doenças crônicas como câncer, enfraquecendo o sistema imunológico e levando ao envelhecimento precoce. Por isso, uma suplementação nutricional adequada após os 50 anos pode ajudar a combater a ação dos radicais livres, bem como repor os nutrientes que se encontram deficientes na alimentação do dia a dia.

Um alimento desenvolvido para esse fim, foi testado no Lar dos Velhinhos em Piracicaba com excelentes resultados. Formulado com ingredientes naturais como a soja, aveia, germe de trigo, gergelim, fibras da laranja, castanha de caju entre outros, o alimento, conhecido como Suprinutri Senior, é rico em proteínas de alto valor biológico, fibras, vitaminas A, E, D e ácido fólico e minerais como cálcio, zinco e selênio, nutrientes importantes para a redução de doenças relacionadas à idade e para o retardo do processo de envelhecimento. Acessando o site www.saudenamaturidade.com.br é possível obter informações sobre a pesquisa com esse alimento, bem como obter dicas e sugestões sobre uma alimentação adequada após os 50 anos. Neste site existem também outros links interessantes sobre o tema envelhecimento e qualidade de vida.

O envelhecer faz parte da trajetória de todos nós.
.

O envelhecimento é um processo normal que começa com o nascimento e termina com a morte. As mudanças vão ocorrendo lentamente e como vimos, serão influenciadas por alguns fatores, especialmente a alimentação. Se você deseja ultrapassar a barreira dos 90, 100 anos com qualidade de vida, mantendo por mais tempo suas características juvenis, livre de doenças associadas à idade, é importante começar desde já a pensar no que anda comendo.

A alimentação correta deve ser uma missão global, que deve ser levada a sério por todos os governos, e deve contar com a preocupação e a colaboração de todos nós. Como não podemos mudar o mundo, podemos começar por nós, nossas famílias, nossos vizinhos e amigos. Não há nenhuma teoria difícil a aprender, basta prestar atenção no que você come. Você certamente saberá distinguir entre um cardápio saudável e outro que só fará mal à sua saúde.



Dra. Jocelem Mastrodi Salgado - Profa. Titular de Nutrição: LAN/ESALQ/USP

 
 
 
 
Cadastro Médico ® Todos os Direitos Reservados - Mapa do Site - Publicidade - Feeds RSS - Política de Privacidade - Empório High-Tech