Cadastro Médico
 
Dr(a).  expandir >

 
 



Terapia ortomolecular, causas do envelhecimento e lixo oxidativo

 Feed RSS de Artigos Feed RSS
 
Postado em 29/03/2009 às 10:00:00 por Carlos de Carvalho

Visitas: 630



Terapia ortomolecular, causas do envelhecimento e lixo oxidativo



O que é a terapia ortomolecular?



O princípio que norteia a prática ortomolecular prega a diminuição dos radicais livres - os oxidantes - que o corpo produz naturalmente ao longo da vida, mas que, em excesso, promovem o desequilíbrio químico e estão por trás do envelhecimento celular e de inúmeras doenças.

Há quanto tempo a terapia ortomolecular é praticada no Brasil?
No Brasil a prática ortomolecular já completou 25 anos, mas o conceito nasceu muito antes. Em 1968, o químico norte-americano, ganhador do Prêmio Nobel por duas vezes, Linus Pauling criou a técnica, baseada na Terapia de Radicais Livres e Envelhecimento, proposta por Denham Harman, pesquisador norte-americano, em 1956. De lá para cá, muitos estudos mostraram os benefícios do tratamento ortomolecular. A International Society for Free Radical Research promove uma série de simpósios em todo o mundo a respeito do tema e tem milhares de cientistas associados.

O que provoca o envelhecimento do ser humano?



Faz parte da vida oxidar e anti oxidar. O tempo todo o nosso corpo está produzindo radicais livres. Uma parte é usada pelo próprio corpo para se proteger de invasores que causam as infecções. Outra parte, estima-se que 90% dos radicais livres, fica vagando pelo organismo, provocando a oxidação dos tecidos e modificando o núcleo das células. É como se o tecido celular enferrujasse.

Quais são os agentes causadores do lixo oxidativo?



Segundo pesquisas americanas, até os 50 anos, 30% da nossa proteína celular terá sido convertida em lixo oxidativo. Entre os causadores do excesso dessas moléculas estão o tabagismo, a poluição, o estresse, a alimentação inadequada, o esforço físico exagerado e até a exposição a produtos químicos. Quanto mais uma pessoa fica exposta a esses agentes, maior é a quantidade de radicais livres que ela acumula no corpo e maiores os riscos de ficar doente.

Como a terapia ortomolecular pode contribuir para um envelhecimento ativo, livre de incapacidades?



A medicina ortomolecular tem uma aplicação individual, que depende de exames e do histórico médico do paciente. Precisamos conhecer seus vícios, seus hábitos alimentares, dentre muitos outros fatores, antes de propor um tratamento, que englobe hábitos saudáveis, abandono dos vícios e uma alimentação equilibrada e rica em nutrientes essenciais, que funcionam como agentes antioxidantes, diminuindo a quantidade de radicais livres.



FONTE: Dr. Eduardo Gomes

 
 
 
 
Cadastro Médico ® Todos os Direitos Reservados - Mapa do Site - Publicidade - Feeds RSS - Política de Privacidade - Empório High-Tech