Cadastro Médico
 
Dr(a).  expandir >

 
 



Você está em: Inicial >> Artigo >> 246 Bronzeado Pode Esperar

Bronzeado pode esperar

 Feed RSS de Artigos Feed RSS
 
Postado em 11/04/2009 às 10:00:00 por Carlos de Carvalho

Visitas: 775



Bronzeado pode esperar



O verão e épocas de férias costumam atrair grande número de pessoas para as praias. Isso acontece também quando o calor e o sol se fazem generosos nos chamados veranicos e praticamente o ano inteiro em muitas praias do nordeste. Homens e principalmente mulheres querem “ganhar uma corzinha” e por isso acabam se estendendo na areia durante horas, esquecendo-se dos perigos que os raios solares podem representar para a pele. Para o paciente em tratamento contra o câncer o perigo é ainda maior, alerta a dermatologista Iara Galiás Yoshinaga, da Clínica Pele Integrativa, em São Paulo.

“A quimioterapia já deixa a pele mais sensível, às vezes com manchas, e expor-se demasiadamente ao sol pode trazer ainda risco maior de ferimentos a ela”, adverte a dermatologista.

Segundo Iara, durante a quimioterapia a necessidade de fotoproteção e de hidratação aumenta. A médica explica que não é necessário esconder-se do sol: o paciente pode sair de casa em dias ensolarados, desde que use filtro solar com fator de proteção 30 ou mais e um hidratante para peles sensíveis. Também é aconselhável usar um chapéu ou um boné e roupas com protetor solar – vestimentas especiais que misturam filtro solar aos fios de poliamida.
Outro cuidado a ser tomado é em relação ao horário de exposição ao sol. A preferência deve ser antes das 10 horas e após as 17 horas. “O sol está cada vez mais perigoso para a saúde com a diminuição da camada de ozônio”, explica Iara.

Se o sol das praias não é aconselhado para o paciente em tratamento, o auto-bronzeamento, feito artificialmente, deve ser totalmente evitado. “O bronzeamento artificial é danoso para qualquer pessoa e pode fazer mal à pele mesmo com o uso de proteção solar”, afirma a especialista.

Iara lembra que após o tratamento e quando o paciente estiver totalmente recuperado, com a pele em seu estado normal, será possível expor-se mais à luz solar. Mesmo assim, ela enfatiza a necessidade da proteção durante e após o tratamento, que deve ser renovada pelo menos três vezes ao dia, passando-se primeiro o hidratante e, em seguida, o protetor solar.

FONTE: QUIMIORAL Laboratório Roche entrevista com a dermatologista Iara Galiás Yoshinaga CRM - SP 66033







 
 
 
 
Cadastro Médico ® Todos os Direitos Reservados - Mapa do Site - Publicidade - Feeds RSS - Política de Privacidade - Empório High-Tech