Cadastro Médico
 
Dr(a).  expandir >

 
 



Cardiologia e Hemodinâmica

 Feed RSS de Artigos Feed RSS
 
Postado em 26/05/2010 às 01:55:13 por David Gabbay

Visitas: 832

EFICÁCIA E SEGURANÇA DA UTILIZAÇÃO DA TÉCNICA TRANSRADIAL NO TRATAMENTO DAS LESÕES COMPLEXAS

JOAQUIM DAVID CARNEIRO NETO; PAULETTI, LG; MAKSUD, DO; GABBAY, D; JÚNIOR, RSPS; CRISTÓVÃO, SAB; SALMAN, AA; MAURO, MF; DALL ORTO, C; MANGIONE, JA

HOSPITAL BENEFICÊNCIA PORTUGUESAH OSWALDO CRUZH AVICCENA

INTRODUÇÃO:  A técnica transradial (TR)algumas vantagens comparada à femoral como: maior comodidade para o paciente nopós-procedimento imediato, deambulação precoce, menor índice de complicaçõesvasculares e menor tempo de internação hospitalar quando comparada à técnicafemoral. Entretanto, seu papel no tratamento de lesões complexas ainda não estácompletamente estabelecido.

OBJETIVO: Este trabalho tem o objetivo de avaliar aeficácia e segurança da TR no tratamento de lesões de maior complexidade.

MÉTODOS: Trata-se de uma coorte, com colheita de dados prospectivade 666 pacientes submetidos à intervenção coronariana percutânea (ICP) pelaTR, no período de julho de 2002 a dezembro de 2009, portadores de lesõescoronárias complexas tipos B2 e C de acordo com a classificação do ACC/AHA.Analisadas as características clínicas, angiográficas e os resultadoshospitalares e no seguimento clínico.

RESULTADOS: A idade média foi 63±11 anose o sexo masculino esteve presente em 73%. Com relação às característicasclínicas observou-se: hipertensão arterial (81,1%), dislipidemia (68,5%),diabete melito (27,8%), tabagismo (24%), IAM prévio (19,5%), ICP prévia(17,1%), e cirurgia de revascularização prévia (10,1%). Doença multiarterialesteve presente em 63,5% dos p. Lesão de tronco de coronária esquerdarepresentou 0,6% da amostra estudada. A taxa de sucesso foi de 95,8%.Complicações vasculares maiores ocorreram 5 pacientes (0,8%). Nefropatia induzida porcontraste ocorreu em 6 pacientes (0,9%). No seguimento clínico, com tempo médio de1189±911 dias de 578 pacientes (90,6%), mostrou que 90,5% encontravam-seassintomáticos, 6,1% com angina estável, 1% com angina instável. A sobrevidalivre de óbito cardíaco, IAM e necessidade de revascularização do vaso alvo foide 94,5% neste período. A taxa de trombose definitiva e provável do stent foide 0,6%.

CONCLUSÃO: A utilização da técnica transradial para o tratamento delesões complexas mostrou-se segura e efetiva, proporcionando elevada taxa desucesso e baixos índices de complicações vasculares na fase e resultadosfavoráveis no seguimento clínico.

 
 
 
 
Cadastro Médico ® Todos os Direitos Reservados - Mapa do Site - Publicidade - Feeds RSS - Política de Privacidade - Empório High-Tech