Cadastro Médico
 
Dr(a).  expandir >

 
 



Orientação sobre os Métodos de Diagnóstico Genético Pré-Implantação

 Feed RSS de Artigos Feed RSS
 
Postado em 01/11/2010 às 11:10:07 por Fernando Aquilini de Aguiar

Visitas: 785

CREMESP

2005: Perfil dos pacientes com risco de recorrência de doença genética: orientação e opinião sobre o diagnóstico genético pré-implantação
Aluno: Fernando Aquilini de Aguiar
Orientadora: Dra. Ester Silveira Ramos
Escola: Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto - USP

 

RESUMO

O presente trabalho de pesquisa faz parte de um trabalho mais amplo intitulado “Diagnóstico Genético Pré-Implantação: Expectativas e Opiniões”. O mesmo incluiu um estudo anterior que focou sua análise em profissionais e estudantes da área de saúde. O objetivo principal do presente trabalho foi o de estudar uma população de famílias com risco de recorrência para patologias de etiologia genética para verificarmos se, nessa população, as opiniões sobre Diagnóstico Genético Pré-Implantação (DGP), Diagnóstico Pré-Natal (DPN) e outras questões relacionadas. Foi escolhida a Síndrome de Down, como modelo de doença, devido à sua alta incidência no Ambulatório de Genética. A presente pesquisa estudou uma população (41 casos) composta de mães de pacientes portadores de Síndrome de Down (trissomia livre) e uma população controle (101 indivíduos). No presente estudo, foi aplicado um questionário, após assinatura de termo de consentimento pós-informação. Como resultado foi observado que 53,65% das mães preferia o DGP ao DPN, enquanto na população controle o resultado foi de 59,4%. Quanto à aceitação do aborto em caso de malformação detectada no DPN, 92,69% das mães disse que não realizariam o aborto e 7,31% aceitaria. Quanto ao destino dos embriões alterados no DGP, 58,53% disse que doaria para pesquisa, 14,63% congelaria, 9,75% descartaria os embriões, 7,31% implantaria mesmo assim e 9,75% não tinha opinião. Quanto ao destino dos embriões normais, 36,58% congelaria, 29,26% doaria pra pesquisa, 24,39% não tinha opinião sobre o assunto e 9,75% descartaria. Também como resultado deste projeto, foi criado material didático para orientar os pacientes do Ambulatório de Genética do HCFMRP-USP. Há ainda muita falta de informação aos pacientes do risco real de terem novos filhos com Síndrome de Down e dos exames disponíveis, seus problemas e benefícios. Portanto, é importante a divulgação das novas tecnologias e a orientação dos casais de forma não diretiva, para que os mesmos possam usufruí-las conscientemente, levando em conta suas próprias crenças e opiniões.

 
 
 
 
Cadastro Médico ® Todos os Direitos Reservados - Mapa do Site - Publicidade - Feeds RSS - Política de Privacidade - Empório High-Tech