Cadastro Médico
 
Dr(a).  expandir >

 
 



Você está em: Inicial >> Artigo >> 725 Medicina Ortomolecular

Medicina Ortomolecular

 Feed RSS de Artigos Feed RSS
 
Postado em 05/05/2011 às 17:42:39 por Rogerio Alvarenga

Visitas: 1.676

 

 

Medicina Ortomolecular

 

 

 

 

 

 

 

Leia este artigo e outros, na íntegra e

com ilustrações, visitando o site

www.palavardemedico.cjb.net

 

 

 

 

Dr.  Rogério  M. Alvarenga

 

 

 

Médico - CRM-RJ 23.389-0

 

A Medicina Ortomolecular, a primeira vista, pode até parecer algo esquisito, mas não é. Aqueles que já se dispuseram a conhecê-la melhor, descobriram que se trata de uma novidade concreta e científica que, atualmente vem alcançando resultados positivos no combate a várias doenças. Tanto sucesso tem seus efeitos.

A Terapia Ortomolecular é recente no Brasil e ainda pouco conhecida. Não se trata de uma especialidade nova, mas de um modo de gerenciar a saúde física e mental, cuja regra áurea é prevenir para não remediar, propondo detectar e corrigir os desequilíbrios das funções celulares a nível bioquímico-molecular, antes que se estabeleçam as doenças, e na vigência destas, somar suas propostas aos tratamentos convencionais de forma que sejam mais eficazes, por períodos menores e com menos efeitos colaterais.

A Medicina Ortomolecular visa a normalização do equilíbrio químico do organismo através de substâncias naturais ao próprio organismo, como as Vitaminas, Minerais e Aminoácidos e “esse equilíbrio é mantido principalmente pela destruição dos Radicais Livres”.

O termo Ortomolecular foi introduzido por Linus Pauling(1901-1994), prêmio Nobel por 2 vêzes (Química em 1954 e da Paz em 1962) na revista Science (160:265-271,1968), propondo que distúrbios mentais poderiam ser tratados pela correção de desequilíbrios ou deficiências de constituintes cerebrais tais como vitaminas e outros micronutrientes, como uma alternativa a administração de drogas psicoativas sintéticas.Linus Pauling é considerado o pai da Biologia Molecular.

Em 1930 passou a estudar as vitaminas, defendendo o uso destas como a base bioquímica das reações celulares em todo o organismo.

Em 1945, com a monografia sôbre alteração da molécula de hemoglobina na anemia falciforme, primeira doença molecular, dá início a Medicina Molecular.

Dentre as doenças moleculares podemos citar a Fenilcetonúria, cujo tratamento consiste na retirada do aminoácido Fenilalanina e na Galactosemia que consiste na retirada do leite.

Em 1960 passou a desenvolver a Bioquímica da Nutrição.

Em 1970 extendeu o conceito Ortomolecular a medicina em geral, como sendo moléculas certas em concentrações certas, caracterizando uma abordagem de prevenção e tratamento de doenças e, alcançar a saúde baseada em ações fisiológicas e enzimáticas de nutrientes específicos, como vitaminas, minerais e aminoácidos presentes no organismo.

 

Medicina Ortomolecular
A palavra Ortomolecular vem da junção de orthos, do grego, que significa correto, direito, reto emolecular, vinda do latim, ou seja moléculas corretas ou direitas ou certas. Uma boa analogia para se entender o que é isto, podemos fazer com um par de sapatos. Quando colocamos o direito em nosso pé direito e o esquerdo em nosso pé esquerdo, podemos andar, dançar, caminhar, sem problemas. Mas, basta colocar o sapato direito no pé esquerdo e o esquerdo no pé direito (trocar os sapatos) ou então tirarmos o salto de um dos sapatos, que no final de alguns minutos teremos dores nos pés e se passarmos um dia assim, com eles trocados ou faltando um pedaço do salto em um deles, no final do dia, não só os nossos pés estarão sofrendo, mas também os nossos tornozelos, os nossos joelhos, a nossa bacia, a coluna e estaremos mal-humorados, estressados, etc.
Assim, também ocorre com nossas moléculas, bastando uma estar trocada ou estar faltando algo nelas,ou seja não estando "corretas", por qualquer motivo (stress, metais pesados, radicais livres, etc) que teremos as conseqüências disso em forma de doenças.

Então, por definição, pode-se dizer que a Medicina Ortomolecular trata-se da orientação terapêutica que tem por objetivo restaurar, no plano molecular, as concentrações normais de substâncias como vitaminas, minerais, aminoácidos, "smart-drugs", etc, normalmente presentes no organismo.

A Medicina Ortomolecular está fundamentada:

1- Nos princípios propostos por Linus Pauling;

2- Na Nutrologia, especialidade médica que se preocupa com a qualidade da alimentação, necessidades calóricas diárias, referentes a cada indivíduo e de acordo com a sua atividade física ou sua patologia pré-existente, repondo ou restringindo os nutrientes como proteínas, gorduras, açúcares, minerais, vitaminas, fibras e água, que sejam indispensáveis ao equilíbrio das reações químico-físicas de todo o organismo.

O equilíbrio metabólico e energético é básico a todas as especialidades médicas. Das centenas de substâncias que entram nos processos metabólicos, todas são sintetizadas no organismo, com exceção de 47, chamadas nutrientes essenciais que deverão ser introduzidas prontas do meio externo, pela alimentação e ou suplementação.

3- No ambiente, detectando e corrigindo as intoxicações provenientes do ar, solo e água, assim como as substâncias ingeridas junto aos alimentos - conservantes, corantes, acidulantes, agrotóxicos, adoçantes e minerais tóxicos. Avaliando a poluição sonora e as fontes de radiações nocivas. Promovendo melhora do saneamento, condições de moradia e ambiente nos diversos tipos de trabalho.

Estudando e pesquisando ligações químicas, enredou pelo intrincado campo da bioquímica – a química dos seres vivos – definindo a doença sob uma ótica diferente, uma outra perspectiva. Linus Pauling escreveu: “A doença tem uma base, um substrato molecular e distúrbios na complexa interação e cadeia entre moléculas geram doenças”.

Diretamente associado à Medicina Ortomolecular está o conceito de Radicais Livres.

 

 

Os Radicais Livres são definidos como um átomo ou um grupo de átomos com um elétron não emparelhado ou seja a perda de um elétron da camada mais externa desse átomo ou seja, toda molécula que tem um elétron ímpar em sua órbita externa.

 

 

s radicais livres são altamente instáveis e reativos, reagindo com outras moléculas criam novos componentes com muita rapidez.

Efeitos nocivos da poluição, energia de alta radiação, raios UV, raios gama, agentes químicos ou medicamentos quebram a paridade da órbita externa das moléculas, criando os radicais livres.

 

Os radicais livres desencadeiam vários processos patológicos, como: envelhecimento precoce, processos isquêmicos, inflamação, rejeição de órgãos transplantados.

 

A Medicina Ortomolecular surgiu justamente para corrigir os desequilíbrios químicos provocados pelos Radicais Livres, pois eles desempenham papel importante nas doenças e no envelhecimento. Porém  num organismo equilibrado e saudável, elas  são logo destruídas. Nas pessoas em que são encontrados altos níveis de Radicais Livres é com o uso de Anti-Oxidantes que o equilíbrio é refeito, juntamente com diversas outras medidas preconizadas pela Medicina Ortomolecular.

 

Na estratégia Ortomolecular o médico deve estar apto a :

1- descobrir quais nutrientes essenciais estão em déficit ;
2- se existe metais tóxicos no organismo;
3- como está funcionando o sistema endócrino;
4- como estão os sistemas de excreção : intestinos, fígado e rins, e
5- se existe intolerância ou alergia alimentar.

O primeiro desafio do Médico junto ao paciente é descobrir quais os nutrientes que estão faltando e o segundo desafio é descobrir se estão presentes elementos estranhos ao meio interno e ás células. Muitas vezes a correção dos desvios encontrados é o suficiente para proporcionarmos o necessário equilíbrio metabólico/energético requerido para retornar novamente o paciente ao estado de saúde.

Esta primeira abordagem da Medicina Ortomolecular constitui-se nos rudimentos, na parte geral comum a todas as especialidades médicas. A sua aplicação aumenta a eficácia dos tratamentos convencionais ou complementares. O pensamento lógico, comprovado por inúmeros trabalhos científicos é simples: devemos introduzir nas células e no meio interno os elementos químicos que porventura estejam faltando e retirar os elementos em excesso, geralmente estranhos ao organismo. É fácil compreender que um organismo sem deficiências e sem substâncias a ele estranhas reagirá muito melhor a qualquer tipo de tratamento. E muito mais que isso: se o organismo estiver saudável, ele estará em melhores condições de assim continuar, pois todos os seus mecanismos de defesa estarão em condições ideais de funcionamento.

Todas as células do corpo produzem energia com a finalidade de fabricar vários tipos de moléculas necessárias para o seu bom funcionamento. Das centenas de substâncias que entram neste processo todas são sintetizadas pelo organismo, exceto cerca de 47 delas. Estas substâncias são chamadas de "Nutrientes Essenciais" e portanto o organismo deve recebê-las já prontas do meio externo. Isto quer dizer que necessitamos de um aporte nutricional adequado, em elementos essenciais, e não é difícil compreender que a falta de um ou mais desses elementos prejudicará o funcionamento das células e, conseqüentemente do organismo como um todo.

 

Os 47 nutrientes essenciais que devem ser recebidos do meio externo:

Além da Água e do Oxigênio:

Aminoácidos:
1-Histidina
2-Leucina
3-Isoleucina
4-Valina
5-Lisina
6-Metionina
7-Fenilalanina
8-Treonina
9-Triptofano

Ácido Graxo essencial:
10-Ácido linoleico

Vitaminas:
11-Tiamina (B1)
12-Riboflavina (B2)
13-Niacina (B3)
14-Piridoxina (B6)
15-Ácido fólico (B9)
16-Cobalamina (B12)
17-Ácido pantotênico
18-Biotina
19-Ácido para-amino-benzóico (PABA)
20-Inositol
21-Colina
22-Ácido ascórbico (C)
23-Retinol (A)
24-Calciferol (D)
25-Alfa tocoferol (E)
26-Menadiona (K)

Sais minerais:
27-Sódio
28-Potássio
29-Cálcio
30-Fósforo
31-Magnésio
32-Manganês
33-Ferro
34-Cobre
35-Zinco
36 - Selênio
37 - Cromo
38- Iodo
39 - Enxofre
40 - Lítio
41 - Boro
42 - Flúor
43- Vanádio
44- Molibdênio
45-Ácido lipóico
46-Taurina
47-Bioflavonóides (rutina, hesperidina, quercetina)

 

 

O papel das vitaminas, aminoácidos, ácidos graxos, enzimas e minerais, na terapêutica tem sido revistos, graças aos estudos estimulados pelo uso dessas substâncias na prática clínica e descobertas da pesquisa básica. Mas como saber o que está faltando no organismo? Uma anamnese completa (história do paciente bem colhida), exame físico, a alguns exames, como por exemplo, o Mineralograma, (exame do fio do cabelo), que nos mostrará os minerais essenciais, que nosso organismo utiliza no metabolismo de várias substâncias, como enzimas, hormônios, etc, e também detecta metais tóxicos que não deveriam encontrar-se no organismo e necessitam ser retirados.

Desta forma, a Estratégia Ortomolecularé um enfoque médico, direcionado para a prevenção de doenças, mantendo-se a saúde, entendendo-se como bem-estar físico-mental, social e emocional e não meramente a ausência de doença ou enfermidade.

Neste enfoque valorizamos mudanças de hábitos que vão diminuir o excesso de Radicais livres, tais como: evitar exposições prolongadas ao sol, eliminar o fumo, reduzir o consumo de gorduras e eliminar frituras, neutralizar o stress cotidiano (melhor filosofia de vida, relaxamento, atividade física constante e adequada, alimentação saudável).

As deficiências de nutrientes essenciais, tão freqüentes hoje, coincide com o alarmante aumento de várias doenças como: hipoglicemia funcional, depressão, astenia, hiperatividade, infecções de repetição, etc, incluindo as doenças degenerativas: aterosclerose, câncer e artropatias, as quais não mais estão se limitando à idade.

Na época que Casimir Funk (Polônia,1884-1967) cunhou a palavra Vitamina, as deficiências dessas substâncias eram intensas e provocavam doenças bem definidas, com quadros clínicos completos e facilmente identificáveis como o escorbuto, a pelagra e o beribéri. Hoje o que habitualmente encontramos são deficiências vitamínicas parciais e portanto as expressões clínicas são incompletas e de difícil diagnóstico para o profissional não atento. E não estamos nos referindo ás camadas de baixa renda, e sim às pessoas de classe média ou alta . A maioria desses indivíduos se alimentam bem e se nutrem mal. Possuem quantidade, mas não qualidade.

A indústria alimentícia e as agro indústrias expoliam os alimentos de diversos tipos de nutrientes ao lado de a eles adicionarem metais e substâncias estranhas. A colheita, o armazenamento e o transporte de legumes, verduras e frutas nas condições atuais, reduzem drasticamente a quantidade de vitaminas e sais minerais neles contidos. Por outro lado e agravando a situação, está a pobreza do nosso solo em vários micronutrientes tais como: selênio, cromo, zinco, cobalto, manganês, etc.

Tudo isso vem ocorrendo após a era industrial, onde o organismo vem sendo submetido às substâncias alienígenas como conservantes, acidulantes, estabilizantes, edulcorantes, antioxidantes sintéticos, agrotóxicos e, particularmente a diversos tipos de metais como o chumbo, o Cádmio, o mercúrio, o alumínio , acrescido da má qualidade dos alimentos ingeridos.

Numa rápida avaliação, nos Estados Unidos, uma das nações mais evoluídas do mundo, 40% da população sofrem de doenças degenerativas, mais de 50% possuem algum problema cardiovascular, enquanto 15 milhões têm artritismo, não se esquecendo de lembrar os altíssimos índices de consumo de tranqüilizantes, analgésicos e outras drogas, sem falar na alta incidência de obesidade, stress e envelhecimento precoce, chegando a conclusão que as causas desses problemas não se encontram ligadas com a riqueza de uma nação, mas sim com as agressões químicas que as pessoas sofrem diariamente.

Essas agressões podem vir sob a forma de analgésicos, tranqüilizantes, agrotóxicos e aditivos químicos na alimentação, poluição ambiental e os metais pesados e tóxicos que irão produzir os Radicais Livres no organismo, desencadeando as doenças, inclusive a diminuição da imunidade e aumento da incidência do câncer.

Pode-se até afirmar que a correção do equilíbrio químico do organismo leva a uma redução da incidência do stress, de doenças cardiovasculares, mentais e metabólicas, assim como o processo de envelhecimento.

 

 

 

 

A Medicina Ortomolecular não é Medicina Alternativa ou terapias alternativas, sendo feita exclusivamente por Médicos.
 

 

 


A Medicina Ortomolecular utiliza os procedimentos descritos nos livros clássicos de farmacologia e o diagnóstico é baseado também em exames clínicos tradicionais como os de sangue, urina, etc.

 

Modos de atuação da Medicina Ortomolecular

PREVENTIVA- através de diagnósticos cada vez mais precoces, detectando alterações metabólicas subclínicas, antes do surgimento de doenças, utilizando-se do tratamento Ortomolecular que visa o equilíbrio global do indivíduo, dando-lhe condições de manter-se sadio ou, diante de doenças, obter melhor resposta a terapêutica específica empregada.

SISTÊMICA - atua na avaliação diagnóstica de todos órgãos e sistemas, analisando a inter-relação e interdependência entre eles e nos tratamentos nutricionais celulares, através de suplementação com nutrientes indispensáveis ao organismo.

INTERATIVA - atua na inter-relação dos sistemas humanos com os sistemas ambientais.
Na abordagem Ortomolecular, o desafio é descobrir quais os nutrientes que estão faltando , os que estão em excesso e ainda verificar os elementos tóxicos no organismo do indivíduo.
Muitas das vezes, a correção dos desvios encontrados é o suficiente para proporcionar o equilíbrio metabólico e energético necessário para o indivíduo retornar ao estado de saúde.
 

Principais elementos utilizados na Medicina Ortomolecular:

1- Vitaminas:Ácido Fólico, Ácido Pantotênico, Betacaroteno, Cálcio, Carnitina, Cobre, Coenzima -10, Colina, Fenilalanina, Glutation, Inositol, Metionina, Molibdênio, Paba, Triptofano, Vitamina A, Vitamina B1, Vitamina B2, Vitamina B3, Vitamina B6, Vitamina B12, Vitamina C, Vitamina D, Vitamina E, etc.

2- Sais Minerais:podemos classificá-los em 4 grupos:

  • Essenciais e necessários em grandes quantidades: Cálcio, Magnésio e Potássio.

  • Necessários em pequenas quantidades e vitais ao organismo: Cromo, Ferro, Manganês, Molibdênio, Cobre e Zinco.

  • Necessários em quantidades muito pequenas e função não totalmente elucidada:Selênio, Vanádio, Níquel e Iodo.

  • Minerais formadores de radicais livres e, portanto, prejudiciais ao organismo:Cádmio, Alumínio e Mercúrio.

Os sais minerais normalmente agem aos pares, o aumento da quantidade fisiológica de um deles pode condicionar deficiências plasmáticas do outro. Ex: Cálcio-Magnésio, Zinco -Cobre, Sódio-Potássio.

Observação:

Minerais Quelados: chamamos de mineral quelado todo íon mineral ligado a um aminoácido(glicina, arginina, lisina). O mineral na forma quelada apresenta melhor absorção, tem uma toxicidade muito menor, é absorvido sem ionização no processo digestivo, e são muito bem tolerados (não gerando efeitos colaterais).

3- Aminoácidos e outras substâncias:Carnitina, Fenilalanina, Glutation, Triptofano, Fitoquímicos, Fito-hormônios, Pro-hormônios, etc.

Os males da "Ferrugem" do Corpo

Ao oxidar células sadias do organismo, de uma maneira semelhante à da ferrugem que corrói peças de ferro. Com o passar do tempo, essas agressões, causadas pelos Radicais Livres, vão destruindo os tecidos e abrindo caminho para diversos problemas de saúde como:

Afecções de Pele Aterosclerose Osteoporose Displasia Mamária Stress
Agressividade Magreza Desinteresse Sexual Fadiga Crônica TPM
Artrite Catarata Gastrite Obesidade Depressão
Artrose Ansiedade Envelhecimento Precoce Retenção de líquidos pelo organismo Dificuldade de Aprendizagem

 Intoxicações por Metais Tóxicos e Pesados

 A Medicina Ortomolecular também possui uma atuação importante no tratamento da intoxicação por metais pesados, como chumbo, alumínio, cádmio, mercúrio e outros.

O Chumbo é um dos metais tóxicos mais encontrados e os sinais clínicos mais evidentes de intoxicação por chumbo, presente principalmente em áreas industriais e que até pouco tempo era adicionado a gasolina, são irritabilidade, agressividade, sangramento nas gengivas, impotência sexual, síndrome do pânico, fadiga, medos, diminuição da memória em adultos e dificuldade de aprendizagem em crianças, além de outros sintomas.

Não é só. A intoxicação pelo chumbo pode ser provocada por alguns de tinturas para cabelos e está muito presente entre operários que trabalham com soldas, principalmente linotipistas de gráficas e jornais. Curiosamente, é citado que a queda e degeneração intelectual do Império Romano encontram-se relacionadas a esse metal. Fatos que são atribuídos à intoxicação pelo chumbo, desde que os romanos passaram a utilizar água encanada em canos feitos por esse metal, além de utilizarem tonéis de chumbo para armazenar o vinho que consumiam.

O  Mercúrio, encontrado nas amálgamas dentárias, mariscos contaminados pelo metal assim como alguns componentes de cálcio de ostras (sem controle de qualidade das ostras utilizadas, se contaminadas ou não por mercúrio), pode provocar intoxicação levando a depressão, fadiga e alterações neurológicas que podem até levar a encefalite.

Já o Cobre pode causar dores articulares, fadiga, depressão e dificuldade de aprendizagem em crianças entre outros sintomas.

O Alumínio, por sua vez, compromete principalmente os ossos e o cérebro. Acredita-se que a intoxicação por esse metal possa ser um dos desencadeadores da Doença de Alzheimer, que leva a uma demência total como aconteceu com a atriz Rita Hayworth e acometeu o ex-presidente americano Ronald Reagan. O alumínio ainda pode provocar depressão e impotência sexual, entre vários sintomas descritos pela ciência. Ele está presente nos laminados (papel alumínio, quentinhas (marmitex), panelas), desodorantes anti-perspirantes e outros cosméticos, pastas de dentes, etc.

Stress

O stress é uma das situações que melhor responde ao tratamento pela Medicina Ortomolecular. O stress trata-se de uma reação neuro-hormonal a uma situação inesperada, ou seja, o cérebro libera substâncias (hormônios) que irão modificar todo o funcionamento do organismo.

Se esta reação perdurar pôr algum tempo surgirão conseqüências físicas e psicológicas deste funcionamento alterado.

As alterações físicas são: taquicardia, tensão muscular, transpiração excessiva, cansaço, aumento da pressão arterial, dor de cabeça, dor de estômago, pressão no peito, alergias, queda de cabelo, gripes constantes, impotência sexual, etc.

As alterações psicológicas são: irritabilidade, isolamento social, incapacidade de relaxar, insônia, desinteresse sexual, perda do prazer, depressão, medo e distúrbio do pânico.

Obesidade

O Tratamento da Obesidadepela Medicina Ortomolecular, onde através de exames especializados em que os hábitos alimentares do paciente são analisados, como ainda todos os alimentos que a pessoa ingere, determinando assim as carências de vitaminas, sais minerais e aminoácidos que a pessoa ingere na alimentação, que poderão estar provocando doenças, inclusive a obesidade. Assim, o Médico pode complementar as necessidades vitamínicas do paciente e prescreve também substâncias naturais, como determinados aminoácidos e fitoterápicos e drogas específicas que irão reduzir o apetite, a ansiedade, a depressão e a compulsão em comer, além de auxiliar a queimar as gorduras.

Stress Oxidativo e Obesidade

Que é stress oxidativo?
Se você ver uma maçã escurecida ou uma grade de ferro enferrujada, você está vendo os resultados do stress oxidativo. O mesmo processo que causa esta deterioração pode também causar a doença no corpo humano.

 

 

O Stress Oxidativo são os danos causados às células que ocorrem em processos metabólicos normais com a produção "de radicais livres", instáveis e moléculas eletricamente carregadas de oxigênio. Na ação de encontrar um "par" e transformar-se radicais estáveis, esses radicais livres interagem com a molécula mais próxima, alvejando proteínas, gorduras, ou mesmo DNA. Estas ações podem ser tão violentas que criam explosões da luz dentro das células. Se não neutralizadas rapidamente, podem criar mais radicais livres ou causar  danos às paredes dos vasos e das células, aos lipídeos, às proteínas, e mesmo ao núcleo (DNA) da célula e a processos que podem conduzir à morte da célula (Apoptose).

Pode-se comparar as lesões causadas pelos radicais livres aos danos que ocorrem quando as fagulhas de uma lareira voam para fora de onde há o fogo. É como se na maioria do tempo o fogo se queima normalmente, mas ocasionalmente há um "estouro" e fagulhas saltam para fora caindo no carpete. Se este processo continuar por muito tempo o carpete vai ficando "puído" , eventualmente expondo o forro e o assoalho subjacente. Em nossos corpos, esta fagulha é causada por um radical Hidroxila e o "puído" resultante pode conduzir as desordens degenerativas do cérebro como Parkinson e Alzheimer, ou às condições metabólicas como o Diabetes, Aterosclerose, doenças do coração e à Obesidade.

Sob circunstâncias normais, há um equilíbrio delicado entre a produção de radicais livres e os Anti-oxidantes, entretanto, durante períodos da produção aumentada de radicais livres, os Anti-oxidantes podem se esgotar no processo do neutralização, deixando o corpo com pouca ou nenhuma defesa no caso de um outro ataque de radicais livres. O stress oxidativo é regulado por uma combinação de fatores hereditários, do ambiente e do estilo de vida. Quando é possível influenciar o estilo de vida e alguns fatores ambientais com a dieta, a atividade física e o suplemento de anti-oxidantes, é bom, pois não podemos mudar os nossos genes. E infelizmente, muitos pessoas funcionam com um nível anormalmente elevado do stress oxidativo que poderia aumentar sua probabilidade da incidência de doenças relacionadas com a idade. Entretanto, ao melhorar nossos hábitos e os fatores ambientais pode diminuir a quantidade de radicais livres que se formam no nosso corpo, e assim, reduziria o risco de doenças degenerativas e metabólicas.

 

 

As mitocôndrias são a parte da célula responsáveis para a produção de energia e a respiração da célula.

O stress oxidativo ocorre durante toda a vida, a medida que nós envelhecemos. A fonte principal da formação dos oxidantes é pela Mitocôndria, a parte da célula responsável pela produção de energia. As mitocôndrias produzem a energia com um processo conhecido como Fosforilação Oxidativa, e com este oxigênio altamente reativo do processo, os radicais são gerados que podem subseqüentemente atacar células em nosso corpo. Os radicais livres, conhecidos também como espécies reativas do oxigênio, são somente um dos produtos da respiração da célula, mas os danos ao DNA que ocorre com eles podem, também, conduzir à produção aumentada dos radicais livres e possivelmente as mutações do DNA mitocondrial. O stress oxidativo pode também causar os danos aos lipídios e às proteínas.

Pesquisas recentes mostraram que a limitação calórica (Dieta)a longo prazo promove a longevidade e o excesso alimentar crônico (Obesidade)provoca uma  circunstância que imita o processo do envelhecimento, o que explica a incidência mais elevada de processos inflamatórios, radicais livres e doenças metabólicas em indivíduos com excesso de peso. Uma pesquisa recente sobre o exercício, a dieta e o uso de Suplementos Anti-Oxidantesindica que tais intervenções reduzirão o peso do corpo, o stress oxidativo, a produção de radicais livres e os processos inflamatórios resultantes, deixando os indivíduos mais magros e mais saudáveis.

 

Diagnóstico em Medicina Ortomolecular

Nada substitui uma consulta com um Médico especializado, pois tanto para a mulher como para o homem, a avaliação Médica e especialmente a Terapia Ortomolecular tem que ser individualizada e só deve ser prescrita por Médico, e que para se ter uma base do que se vai indicar para um paciente é necessário fazer uma minuciosa anamnese clínica, avaliar o estado psico-emocional do paciente e  fazer um estudo pormenorizado com exames laboratoriais, inclusive Ortomoleculares como o Teste do Cabelo (Mineralograma) e outros através de sangue, urina e fezes.

Pouca gente sabe, mas basta uma simples mechado cabelo para se detectar as doenças em Medicina Ortomolecular e assegurar a saúde do corpo inteiro. O Mineralograma (Teste do Cabelo) , um “check-up hi-tech”, é o exame que traça o perfil mineral da pessoa.

“A importância de se fazer a análise dos fios de cabelo está no fato de como as unhas, serem tecidos onde os minerais, tanto os essenciais como os tóxicos, são retidos ou armazenados”

O Mineralograma consiste no exame feito a partir de uma amostra de apenas 1 grama de cabelo, que é enviada para os Estados Unidos onde é feita a análise. O resultado fica pronto no período de 30 a 40 dias. Já o tratamento proposto e provado sua eficácia pela Medicina Ortomolecular será determinado após esse exame e também de outros que serão realizados paralelamente.

“A Medicina Ortomolecular não tem qualquer tipo de contra-indicação, seja para tratar uma criança com dificuldade de aprendizagem escolar ou uma paciente portadora de osteoporose, inclusive portadores de câncer, que nesse caso a finalidade será de aumentar a imunidade celular e tentar prolongar mais a vida”

A Terapia Ortomolecular é totalmente natural para o organismo, a base de vitaminas, aminoácidos, substâncias anti-oxidantes, “smart-drugs” e minerais tratados especialmente de forma que sirvam para combater os Radicais Livres, neutralizando-os. Mais: é um tratamento totalmente individual, ou seja, a medicação se baseia na história clínica, no exame do cabelo e/ou alimentação e exames de sangue e urina de cada paciente. 

ESTRATÉGIAS DA MEDICINA ORTOMOLECULAR

1- Cuidar do Sistema Digestivo
2- Dieta Inteligente
3- Exercícios aeróbicos moderados
4- Resolver os problemas do cotidiano- aprendendo a      programar o que quer mudar
5- Autoconhecer-se
6- Aprender a livrar-se dos metais tóxicos
7- Abolir o fumo e o excesso de álcool
8- Higiene do sono
9- Detectar e tratar parasitoses intestinais e reeducar-se para não adquirir novamente
10- Antioxidantes e nutrientes com moderação e equilíbrio

 

 

Este artigo não pretende a prescrição ou indicação de medicamentos. Se você apresenta algum dos sintomas citados procure um Médico pois nada substitui uma consulta com um Médico especializado, pois tanto para a mulher como para o homem, a avaliação Médica e especialmente a Terapia Ortomolecular tem que ser individualizada e só deve ser prescrita por Médico Especialista, e que para se ter uma base do que se vai indicar para um paciente é necessário fazer uma minuciosa anamnese clínica, avaliar o estado psico-emocional do paciente e  fazer um estudo pormenorizado com exames laboratoriais, inclusive Ortomoleculares como o Teste do Cabelo (Mineralograma)e outros através de sangue, urina e fezes.

Dr. Rogério Alvarenga é Médico (CRM-RJ 23.389-0), Especialista em Medicina Ortomolecular. É também Endocrinologista e Especialista em Nutrologia Médica. É membro da Academia de Ciências de NovaYork ("The New Academy of Sciences" - USA) entre outras no exterior. Membro da ABESO(Associação Brasileira para Estudos da Obesidade) e  outras. Membro-Fundador da SOMORJ-Sociedade de Medicina Ortomolecular do Estado do Rio de Janeiro.

Terapia Ortomolecular, Teste do Cabelo, Intoxicação por Metais Pesados, Prevenção do Envelhecimento, Tratamento para Crescimento em Crianças e Adolescentes, Aumento de Massa Muscular em Atletas, Tratamento do Stress, Depressão, Irritabilidade, Agressividade, Andropausa, Menopausa, Reposição Hormonal Feminina e Masculina ,Doenças da Tireóide, Medicina Preventiva, Desinteresse Sexual Masculino e Feminino, Artrite, Artrose, Osteoporose, Fibromialgia, Queda de Cabelos, OBESIDADE, Magreza, Distúrbios do Colesterol e Triglicérides, Nutrologia Médica e Endocrinologia em Geral

 

Copyright © Dr. Rogério M. Alvarenga

 
 
 
 
 
Cadastro Médico ® Todos os Direitos Reservados - Mapa do Site - Publicidade - Feeds RSS - Política de Privacidade - Empório High-Tech