Cadastro Médico
 
Dr(a).  expandir >

 
 



Você está em: Inicial >> Artigo >> 845 Celulite

CELULITE.

 Feed RSS de Artigos Feed RSS
 
Postado em 16/09/2012 às 21:55:47 por Elodia Avila

Visitas: 607

 

CELULITE

 

Celulite é o nome mais conhecido e divulgado dado para uma patologia do tecido adiposo cujo nome correto é Lipodistrofia Ginóide (LDG) ou Paniculopatia Fibroesclerótica.

 

A Celulite deve ser vista como uma patologia em que vários fatores predisponentes como a carga genética, hormônios e outros fatores endógenos e ambientais propiciam o seu aparecimento. A celulite resulta desta soma, ou seja, a mulher que apresenta a celulite precisa se tratar constantemente pois reúne os componentes que desencadeiam o problema.

 

O problema é agravado principalmente devido aos hábitos alimentares inadequados, como dieta rica em calorias e gorduras, com insuficiência de proteínas, fibras, líquidos, sais minerais e vitaminas. Outro hábito prejudicial é o sedentarismo, pois pouco gasto calórico, baixo fluxo sangüíneo, dificultando a oxigenação e trocas metabólicas, diminuição de massa muscular e aumento do depósito de gordura.

 

É um problema que evolui, causado por inchaço no tecido e microestases, ou seja, diminuição no fluxo sangüíneo e linfático local. Este complexo de alterações no tecido adiposo resulta em nódulos de gordura que variam de tamanho.

 

Graus de Celulite:

 

Grau I: um aumento das células gordurosas e ruptura de alguns pequenos vasos capilares no local, o que gera discreta retenção de líquidos. A epiderme e a derme, ou seja, as camadas mais superficiais da pele apresentam-se relativamente saudáveis e pouca ou nenhuma manifestação cosmética.

 

Grau II: Algumas regiões apresentam microcirculação normal, ao passo que áreas adjacentes podem apresentar fluxo sangüíneo reduzido. um aumento de adipócitos (células gordurosas) que faz com que os vasos sejam pressionados e comprimidos, havendo maior retenção de líquidos no local por esta estase.

São observadas na pele aspereza e alterações no microrrelevo cutâneo, principalmente quando se “pinça” a pele entre o dedo indicador e o polegar.

 

Grau III: A deterioração vascular promove alterações na pele levando ao afinamento dérmico. Observa-se o aparecimento de depósitos de proteína, em forma de rede, ao redor dos nódulos de gordura, envolvendo-os, prejudicando ainda mais a circulação local e formando verdadeiras “cicatrizes” internas. O teste do “pinçamento” permite a observação do efeito “casca de laranja”.

 

Grau IV: Apresenta nódulos na região dérmica mais definidos, consistindo de gordura encarcerada por rígida camada de proteína reticular. A superfície da pele passa a apresentar considerável heterogeneidade bem visível. O acúmulo de líquidos aumenta e, se não tratado, o problema tende a se agravar por formar um círculo vicioso entre estase sangüínea e encarceramento de gordura. Os nódulos rígidos podem ser altamente sensíveis e a região se torna dolorida.

 

 Por se tratar de um quadro complexo e por apresentar diferentes graus de evolução é necessária uma avaliação detalhada para se indicar qual o melhor tratamento para determinado caso.

 

Podemos separar os tratamentos entre Médicos e Não-Médicos:

 

Tratamentos Não-Médicos: Podem melhorar o aspecto da Celulite de Grau I e são coadjuvantes do tratamento médico nos demais.

 

- Orientação Dietética:

  É importante determinar o que realmente vai funcionar para o paciente. Este deve ser encarado como indivíduo único, com seus gostos e hábitos particulares. Não adianta oferecer uma dieta padronizada e única para todos os pacientes porque a maioria não vai seguir. A dieta deve ser personalizada e com enfoque em incentivar o maior aporte hídrico, riqueza em vitaminas, fibras e sais minerais, hipoglicídica e hipolipídica.

 

- Orientação quanto a Atividades Físicas:

  O objetivo é o de aumentar o gasto energético e melhorar as trocas metabólicas, ou seja, aumentar o fluxo sangüíneo para haver uma “limpeza” mais eficaz dos metabólitos da região acometida. Também é importante uma avaliação do paciente para não ser uma indicação padronizada a todos pois cada um tem as suas características e possibilidades.

 

- Drenagem Linfática:

  Também é outro tratamento coadjuvante. O objetivo é a melhora da alteração circulatória comum da Celulite. Tem ação redutora do edema, relaxante e analgésica. É realizada por profissionais especializados.

 

- Ultra-Som:

  Promove vasodilatação local, estimulando a microcirculação.

 

 

Tratamentos Médicos:Indicados para a Celulite de Grau II ou maior.

 

- Formulações Cosmiátricas:

  Formulação de cremes e loções específicos para seu grau de celulite e seu tipo de pele. A eficácia do produto depende da capacidade de incorporação, estabilização e promoção de penetrabilidade do conjunto de substâncias a se empregar.

 

- Intradermoterapia:

  É um tratamento médico coadjuvante em que substancias hidrossolúveis são injetadas por micropunções na região promovendo vasodilatação, melhora do tônus e hidratação do tecido. O produto e o tempo de duração do tratamento variam de pessoa para pessoa.

 

- Subincisão:

  É um procedimento em que uma liberação das traves fibroproteicas que envolvem os nódulos de gordura e que deixam aquele aspecto de “furinhos” na região acometida, sob anestesia local. Pode ser feita em pequenas ou grandes áreas.

 

- Lipoaspiração:

  Melhora a Celulite no sentido de diminuir a quantidade de gordura localizada o que promove a melhora da circulação local e também se pode “quebrar” aquelas traves fibrosas, melhorando bastante o aspecto geral.

 

 

É importante enfatizar que o tratamento é único de pessoa para pessoa e que durante o tratamento a paciente é constantemente reavaliada para redirecionar e otimizar os resultados.

 

 

 
 
 
 
Cadastro Médico ® Todos os Direitos Reservados - Mapa do Site - Publicidade - Feeds RSS - Política de Privacidade - Empório High-Tech